Considerações Sobre Processo de Produção Capitalista e a Precarização do Trabalho Docente na Escola

Autores

  • Jefferson Carriello do Carmo Universidade Católica Dom Bosco/MS

Resumo

O objetivo desse texto foi investigar, resumidamente, as reformas educacionais de trabalho docente e como essas vêm sendo submetidas às mudanças das novas formas de produção bem como as suas implicações para o trabalho docente na escola. O procedimento de análise foi bibliográfico de cunho histórico/analítico descritivo, com a finalidade de investigar algumas das discussões já existentes sobre a temática e apontar alguns outros caminhos de pesquisa. Essa preocupação centra-se na crise do binômio fordismo/taylorismo e os novos procedimentos na organização produtiva/tecnológica no período caracterizado pela crise estrutural do capital cujo início foi a partir dos anos 70. Verificou-se através das discussões sobre a reforma educacional seu impacto na escola e no trabalho doente quanto a sua precarização. Por fim, verificou as mudanças nas formas de trabalho docente que do ponto de vista histórico, volta-se para o exercício do trabalho unilateral visível em todos os níveis educacionais e suas modalidades. A escola assume um pragmatismo técnicocientífico da especialização em que fragmenta e precariza o trabalho docente de um lado e promove a especialização para o mercado de trabalho de outro.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

14-09-2010

Como Citar

DO CARMO, J. C. Considerações Sobre Processo de Produção Capitalista e a Precarização do Trabalho Docente na Escola. Quaestio - Revista de Estudos em Educação, Sorocaba, SP, v. 12, n. 1, 2010. Disponível em: https://periodicos.uniso.br/quaestio/article/view/178. Acesso em: 1 fev. 2023.

Edição

Seção

Artigos