Educação das mulheres na cidade de Ponta Grossa-PR na Primeira República

Autores

  • Loraine Lopes de Oliveira Universidade Estadual de Ponta Grossa – UEPG
  • Vera Lucia Martiniak Universidade Estadual de Ponta Grossa – UEPG https://orcid.org/0000-0003-3092-9817

DOI:

https://doi.org/10.22483/2177-5796.2022v24id3516

Palavras-chave:

educação, mulheres, Ponta Grossa/PR.

Resumo

Este texto tem o objetivo de circunstanciar a organização escolar das mulheres na cidade de Ponta Grossa-PR, no contexto da Primeira República brasileira. O estudo parte dos pressupostos teóricos do materialismo histórico-dialético, buscando analisar o objeto de pesquisa na totalidade das relações políticas, econômicas e sociais da época. Os dados foram obtidos por meio do jornal Diário dos Campos, Relatórios dos Secretários de Governo do Paraná, Leis e Decretos educacionais. A análise das fontes permitiu constatar o lento crescimento de escolas públicas na cidade e as diferenças acentuadas na educação de meninas e meninos, inclusive, a diferença de oportunidades de formação escolar.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Loraine Lopes de Oliveira, Universidade Estadual de Ponta Grossa – UEPG

Mestre em Educação pela Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), na linha de pesquisa História e Políticas da Educação. Membro do Grupo de Estudos e Pesquisa "História, Sociedade e Educação nos Campos Gerais" - PR - HISTEDBR (UEPG). Graduação em História e Bacharelado em Pedagogia pela Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), Especialização em Psicopedagogia Clínica e Institucional pelo Centro de Ensino Superior dos Campos Gerais (CESCAGE).

Vera Lucia Martiniak, Universidade Estadual de Ponta Grossa – UEPG

Mestre em Educação pela Universidade Estadual de Ponta Grossa, doutora em Educação, na linha de concentração em História, Filosofia e Educação pela Universidade Estadual de Campinas-UNICAMP. Atualmente é professora permanente do Programa de Pós-Graduação em Educação da UEPG na linha de História e Políticas Educacionais e pesquisadora do Grupo de Estudos e Pesquisas História Sociedade e Educação-HISTEDBR da Universidade Estadual de Campinas-UNICAMP. 

Referências

ACERVO DE CONCESSÃO DE TERRAS DE PONTA GROSSA. Casa da Memória de Ponta Grossa. Ponta Grossa, PR: Prefeitura de Ponta Grossa, 21 de janeiro de 1909a.

ACERVO DE CONCESSÃO DE TERRAS DE PONTA GROSSA. Casa da Memória de Ponta Grossa. Ponta Grossa, PR: Prefeitura de Ponta Grossa, 23 de julho de 1909b.

ACERVO DE CONCESSÃO DE TERRAS DE PONTA GROSSA. Casa da Memória de Ponta Grossa. Ponta Grossa, PR: Prefeitura de Ponta Grossa, 26 de fevereiro de 1926.

ALMEIDA, J. S. de. Mulheres na educação: missão, vocação e destino? In: SAVIANI, Dermeval et al. O legado educacional do século XX no Brasil. 3. ed. Campinas: Autores Associados, 2014. p. 55-96.

ALMEIDA, J. S. de. Ler as letras: por que educar meninas e mulheres? Campinas: Autores Associados, 2007.

CHAVES, N. B. Os “problemas citadinos” em uma “cidade civilizada”: estratégias discursivas de um intelectual polivalente no jornal Diário dos Campos - Ponta Grossa (década de 1930). In: CONGRESSO INTERNACIONAL DE HISTÓRIA UEPG-UNICENTRO, 2., 2015, Ponta Grossa. Anais [...]. Ponta Grossa: UEPG, 2015. p. 1-12. Tema: Produção e Circulação do Conhecimento Histórico no Século XXI.

CHORNOBAI, G. Q. L. Igreja Católica, educação feminina e cultura escolar em Ponta Grossa (PR): a Escola Normal de Sant’ana (1947-1960). 2022. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2002.

COSTA, E. V. da. Da monarquia à república. 7. ed. São Paulo: UNESP, 1999.

DIÁRIO DOS CAMPOS. Ponta Grossa, ano 8, n. 1193, 24 out. 1914a.

DIÁRIO DOS CAMPOS. Ponta Grossa, ano 8, n. 1223, 30 nov. 1914b.

DIÁRIO DOS CAMPOS. Ponta Grossa, ano 9, n. 1255, 13 jan. 1915.

DIÁRIO DOS CAMPOS. Ponta Grossa, ano 10, n. 1551, 28 jan. 1916a.

DIÁRIO DOS CAMPOS. Ponta Grossa, ano 10, n. 1550, 7 fev. 1916b.

DIÁRIO DOS CAMPOS. Ponta Grossa, ano 10, n. 1556, 3 fev. 1916c.

DIÁRIO DOS CAMPOS. Ponta Grossa, ano 10, n. 1740, 25 set. 1916d.

DIÁRIO DOS CAMPOS. Ponta Grossa, ano 10, n. 1745, 30 set. 1916e.

DIÁRIO DOS CAMPOS. Ponta Grossa, ano 12, n. 2282, 7 jan.1919.

DIÁRIO DOS CAMPOS. Ponta Grossa, ano 14, n. 2959, 28 dez. 1921.

DIÁRIO DOS CAMPOS. Ponta Grossa, ano 15, n. 3046, 19 abr. 1922.

LUPORINI, T. J. Escola Estadual Senador Correia: pioneira da instrução pública em Ponta Grossa. Ponta Grossa: Planeta, 1987.

MARTINIAK, V. L. A formação de professores no Paraná na primeira república: a escola normal primária de Ponta Grossa. Revista História e Ensino, Londrina, v. 24, n. 1, p. 255-282, jan./jun. 2018. Disponível em: https://www.uel.br/revistas/uel/index.php/histensino/article/view/30205. Acesso em: 01 maio 2021. DOI: https://doi.org/10.5433/2238-3018.2018v24n1p255

MARTINIAK, V. L. Processo histórico de institucionalização das primeiras escolas agrícolas nos Campos Gerais-PR. 2011. Tese (Doutorado em Educação) - Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2011.

OLIVEIRA, J. C. de. Educadores Ponta-Grossenses: 1850-1950. Ponta Grossa: Ed. UEPG, 2002.

PARANÁ. Decreto nº 93, de 11 de março de 1901. Regulamento da Instrucção Publica do Estado do Paraná. Curitiba: Tipografia d’A República, 1901.

PARANÁ. Regulamento orgânico da escola pública do Paraná. Paraná: Congresso Legislativo do Estado, 1910.

PARANÁ, Relatório apresentado ao Exmo. Dr. Francisco Xavier da Silva, Presidente do Estado do Paraná pelo Coronel Luiz Antônio Xavier, Secretário d’Estado dos Negócios do Interior, Justiça e Instrução Pública. Curitiba: Tipografia d’A República, 1908. 1v.

PARANÁ. Relatório do Secretário do Estado dos Negócios do Interior, Justiça e Instrução Pública, Dr. Bento José Lamenha Lins apresentado ao Vice Presidente do Estado. Curitiba: Tipografia d’A República, 1907.

PARANÁ. Relatório apresentado ao Exmo. Snr. Dr. Diretor Geral da Instrução Publica pelo Inspetor Escolar da Capital, 19 de dezembro de 1907. Relatório apresentado ao Exmo. Snr. Joaquim Monteiro de Carvalho e Silva, Vice Presidente do Estado do Panará, pelo Bacharel Bento José Lamenha Lins, Secretario d´Estado dos Negócios do Interior, Justiça e Instrucção Publica. Curitiba: Tipografia d’A República, 1908.

PARANÁ. Decreto nº 710 de 18 de outubro de 1915. Aprovação do Código de Ensino do Estado do Paraná. Curitiba: Tipografia d’A República, 1915.

O PROGRESSO. Ponta Grossa, ano 3, n. 246, 11 jan. 1910a.

O PROGRESSO. Ponta Grossa, ano 3, n. 277, 25 jun. 1910b.

O PROGRESSO. Ponta Grossa, ano 3, n. 357, 31 dez. 1910c.

O PROGRESSO. Ponta Grossa, ano 4, n. 386, 9 mar. 1911a.

O PROGRESSO. Ponta Grossa, ano 5, n. 440, 22 jul. 1911b.

O PROGRESSO. Ponta Grossa, ano 5, n. 544, 4 abr. 1912a.

O PROGRESSO. Ponta Grossa, ano 5, n. 547, 13 abr. 1912b.

O PROGRESSO. Ponta Grossa, ano 6, n. 616, 14 set. 1912c.

REMER, M. M. Z. O ensino secundário público paranaense: o Ginásio Regente Feijó, Ponta Grossa (1927-1961). 2013. Tese (Doutorado em Educação) - Pontifícia Universidade Católica do Paraná, Curitiba, 2013.

SAFFIOTI, H. I. B. A mulher na sociedade de classes: mito e realidade. 3. ed. São Paulo: Expessão Popular, 2013.

TRINDADE, E. M. de C. Clotildes ou Marias: mulheres de Curitiba na Primeira República. Curitiba: Fundação Cultural, 1996.

WACHOWICZ, R. C. História do Paraná. Curitiba: Ed. UEPG, 2010.

Downloads

Publicado

2022-09-28

Como Citar

OLIVEIRA, L. L. de; MARTINIAK, V. L. Educação das mulheres na cidade de Ponta Grossa-PR na Primeira República. Quaestio - Revista de Estudos em Educação, Sorocaba, SP, v. 24, p. e022023, 2022. DOI: 10.22483/2177-5796.2022v24id3516. Disponível em: https://periodicos.uniso.br/quaestio/article/view/3516. Acesso em: 27 nov. 2022.

Edição

Seção

Artigos de Demanda