(in)Ventar a docência

brotos de autonomia

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22483/2177-5796.2022v24id3850

Palavras-chave:

educação, práticas pedagógicas, errância.

Resumo

O texto é resultado de pesquisas e práticas pedagógicas no campo educacional, e sobre as potencialidades da criação e de uma pedagogia autônoma nos processos formativos. Tensionam-se no texto diálogos sobre práticas educativas e o que nos importa no exercício da docência. Através de alguns processos formativos vividos pela autora, busca-se evidenciar questões, inquietudes e incômodos ainda instáveis e em construção, ensaiados no cotidiano e esboçado em pensamento e invenções. Defende-se que a potência da criação e da errância na docência são modos de rupturas frente aos atuais avanços conservadores, atentando-se ao exercício da alteridade, da inventividade e da experimentação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sheila Hempkemeyer, Universidade Federal de Santa Catarina

Doutora pelo Programa de Pós-Graduação em Educação - PPGE/UFSC pela Universidade Federal de Santa Catarina. Psicóloga da Secretaria de Educação do Estado de Santa Catarina. 

Referências

ADICHIE, Chimamanda Ngozi. O perigo de uma história única. São Paulo: Companhia das Letras, 2019.

DIDI-HUBERMAN, Georges. A sobrevivência dos vaga-lumes. Belo Horizonte: UFMG, 2011.

DEVORAÇÃO: como permanecer fortes? Nigéria 202B. Fortaleza: Cia de Arte Andanças, 2016. 1 vídeo (20 min). Disponível em: https://vimeo.com/187230302. Acesso em: 23 maio 2019.

DUARTE, Mel. Negra nua crua. 2. ed. São Paulo: Ijumaa, 2016.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia. São Paulo: Paz e Terra, 2011a.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da esperança. 17. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2011b.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da indignação. São Paulo: Paz e Terra, 2014.

HOOKS, bell. Ensinando a transgredir: a educação como prática da liberdade. 2. ed. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2017.

KRENAK, Ailton. Ideias para adiar o fim do mundo. São Paulo: Companhia das Letras, 2019.

MUNDURUKU, Daniel. Mundurukando 2: sobre vivências, piolhos e afetos: roda de conversa com educadores. Lorena, SP: UK’A Editorial, 2017.

PARA onde foram as andorinhas? Direção de Mari Corrêa. Roteiro de Paulo Junqueira. São Paulo: Instituto Catitu e Instituto Socioambiental, 2016. 1 vídeo (22 min). Disponível em: https://vimeo.com/179228552. Acesso em: 27 maio 2019.

RIBEIRO, Djamila. O que é lugar de fala? Belo Horizonte: Letramento, 2017.

ROLNIK, Suely. Esferas da insurreição: notas para uma vida não cafetinada. São Paulo: n-1 edições, 2018.

SKLIAR, Carlos. Desobedecer a linguagem: educar. Belo Horizonte: Autêntica, 2014.

Downloads

Publicado

2022-08-05

Como Citar

HEMPKEMEYER, S. (in)Ventar a docência: brotos de autonomia. Quaestio - Revista de Estudos em Educação, [S. l.], v. 24, p. e022003, 2022. DOI: 10.22483/2177-5796.2022v24id3850. Disponível em: https://periodicos.uniso.br/quaestio/article/view/3850. Acesso em: 15 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigos de Demanda