Rizoma e pós-estruturalismo

três apontamentos para possíveis usos na pesquisa em educação

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22483/2177-5796.2021v23n1p55-81

Palavras-chave:

Rizoma, Pós-estruturalismo, Pesquisa em Educação

Resumo

Nesse ensaio trazemos três apontamentos sobre a filosofia deleuziana, que elaboram uma análise de conteúdo epistemológico com o objetivo de refletir os possíveis usos dessa teoria na fundamentação de pesquisas de pós-graduação desenvolvidas pelo Grupo Rizoma ligado ao Programa de Pós-Graduação em educação da Universidade Federal do Paraná. A proposta é desdobrar o rizoma, conceito criado por Gilles Deleuze e Félix Guattari, traçando a partir destes três pontos um modo de orientação nesta filosofia das multiplicidades. O primeiro apontamento trata da criação de conceitos e métodos que formam a filosofia de Deleuze; o segundo, analisa o texto Em que se pode entender como estruturalismo?; e o terceiro, os elementos e princípios do Rizoma, texto e conceito que foi escrito e criado junto a Félix Guattari. Entendemos que esses três momentos perfazem um percurso interessante e necessário para quem quer fazer uso das abordagens da filosofia da diferença em processos especulativos do campo da educação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Claudia Madruga Cunha, Universidade Federal do Paraná

 Doutora em Educação pela UFRGS. É professora Adjunto III da UFPR, integra o setor de Educação Profissional e Tecnológica e atua no Programa de Extensão PDE/UFPR como Coordenadora. Tem investido em ações que qualificam a relação universidade e escola. Pesquisa no Grupo "Saberes e Práticas no Ensino Superior" e colabora com o projeto do MEC em parceria com a UFPR, " Programa- Mais Educação". 

Referências

CUNHA, C. M. Princípios da cartografia e o pensamento da diferença em deleuze – o que quer a pesquisa cartográfica? Atos de pesquisa em Educação, Blumenau, v. 14, n. 3, p. 934-959, 2019. Disponível em: https://proxy.furb.br/ojs/index.php/atosdepesquisa/article/view/8051/4451. Acesso em: 10 ago. 2020.

DELEUZE, G. Bergsonismo. São Paulo: Ed. 34, 1999.

DELEUZE, G. Conversações. São Paulo: Editora 34, 1992.

DELEUZE, G. Diferença e repetição. Lisboa: Relógio D’Água, 2000.

DELEUZE, G. Em que se pode reconhecer o estruturalismo? In: DELEUZE, G. A ilha deserta e outros textos. São Paulo: Iluminuras, 2010. p. 221-247.

DELEUZE, G. Espinosa e o problema da expressão. São Paulo: Ed. 34, 2017.

DELEUZE, G. Lógica do sentido. São Paulo: Perspectiva, 1974.

DELEUZE, G. Nietzsche e a filosofia. São Paulo: n-1 edições, 2018.

DELEUZE, G.; GUATTARI, F. O Anti-Édipo: capitalismo e esquizofrenia. São Paulo: Imago, 1972.

DELEUZE, G.; GUATTARI, F. Kafka – por uma literatura menor. Belo Horizonte: Autentica, 2014.

DELEUZE, G.; GUATTARI, F. Mil platôs: capitalismo e esquizofrenia. São Paulo: Editora 34, 1995. v.1.

DELEUZE, G.; PARNET, Claire. Diálogos. São Paulo: Escuta, 1998.

DOSSE, F. Gilles Deleuze e Félix Guattari: biografia cruzada. Porto Alegre: Artmed, 2010.

DOSSE, F. História do estruturalismo: o campo do signo, 1945-1966. São Paulo: UNESP, 2018. v. 1.

FOUCAULT, M. A arqueologia do saber. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2013.

GIL, J. Uma reviravolta no pensamento de Deleuze. Gilles Deleuze: uma vida filosófica. São Paulo: Ed. 34, 2000.

HARDT, M. Gilles Deleuze um aprendizado filosófico. São Paulo: Editora 34, 1996.

LACAN J. Os quatro conceitos fundamentais da psicanálise. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1988.

LAPOUJADE, D. Deleuze, os movimentos aberrantes. São Paulo: N-1 edições, 2015.

LÉVI-STRAUSS, C. Estruturas elementares de parentesco. Petrópolis: Vozes, 1976.

MACHADO, R. Deleuze, a arte e filosofia. Rio de Janeiro: Zahar, 2009.

MACHADO, R. Introdução. In: DELEUZE, G. Sobre o teatro: um manifesto de menos, o esgotado. Rio Janeiro: Zahar, 2010.

NEGRI, A. Deleuze e Guattari: uma filosofia para o século XXI. São Paulo: Filosófica Politeia, 2019.

PETERS, M. Pós-estruturalismo e filosofia da diferença. Belo Horizonte: Autêntica, 2000.

SAUSSURE, F. Curso de linguística geral. São Paulo: Cultrix, 1999.

WILLIANS, J. Pós-estruturalismo. 2. ed. Petrópolis: Vozes, 2013.

ZOURABICHVILI, F. Deleuze: uma filosofia do acontecimento. São Paulo: Editora 34, 2016.

ZOURABICHVILI, F. O vocabulário de Deleuze. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2004.

Downloads

Publicado

2021-04-30

Como Citar

CUNHA, C. M. Rizoma e pós-estruturalismo: três apontamentos para possíveis usos na pesquisa em educação. Quaestio - Revista de Estudos em Educação, Sorocaba, SP, v. 23, n. 1, p. 55–81, 2021. DOI: 10.22483/2177-5796.2021v23n1p55-81. Disponível em: https://periodicos.uniso.br/quaestio/article/view/4071. Acesso em: 29 nov. 2022.

Edição

Seção

Dossiê - Investigações poéticas e cocriação entre pensamento e vida