O ensino de Psicologia Educacional nas licenciaturas

um estudo sobre as concepções teórico-metodológicas dos professores formadores

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22483/2177-5796.2022v24id4167

Palavras-chave:

psicologia educacional, ensino, concepções docentes.

Resumo

Este estudo objetiva analisar as concepções teórico-metodológicas de ensino, aprendizagem e ciclos de vida dos docentes que lecionam componentes de Psicologia Educacional nos cursos de formação de professores de uma universidade federal, buscando compreender as complexas relações existentes com as crenças dos licenciandos acerca destas concepções. Para a construção dos dados, foram realizadas entrevistas individuais semiestruturadas com oito docentes e uma roda de conversa com cinco professores que aceitaram participar da segunda etapa da investigação. Os resultados demonstram a prevalência de concepções interacionistas no que tange aos conceitos de ensino, aprendizagem e ciclos de vida entre os participantes e que tais concepções estão imbricadas em suas metodologias e prática pedagógica, trazendo impactos substanciais nas construções das concepções dos licenciandos. As conclusões apontam que há uma relação não linear, difusa e complexa entre as concepções e práticas docentes e as concepções discentes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Nadiane Maria da Silva Tibúrcio, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Mestranda no Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGED/UFRN). Pedagoga pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte - UFRN. 

Cynara Teixeira Ribeiro, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Doutora em Psicologia (UFBA); mestra em Psicologia Social (PUC/SP) e graduada em Psicologia (UFRN).  Professora Associada do Centro de Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e Orientadora de Mestrado do Programa de Pós-Graduação em Educação. Atualmente ocupa o cargo de Vice-Direção do Centro de Educação da UFRN.

Referências

ALMEIDA, P. C. A. de et al. Em busca de um ensino de Psicologia significativo para futuros professores. In: REUNIÃO ANUAL DA ANPEd. 26., 2003, Poços de Caldas. O Anais [...]. Rio de Janeiro: ANPEd, 2003. p. 5-8. Tema: Papel histórico da Anped na produção de novas políticas.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1995.

BRASIL. Conselho Nacional de Saúde. Resolução 196, de 10 de outubro de 1996. Brasília: Ministério da Saúde, 1996.

BRASIL. Conselho Nacional de Saúde. Resolução 466, de 12 de dezembro de 2012. Brasília: Ministério da Saúde, 2012.

BRASIL. Resolução nº 2, de 1º de julho de 2015. Define as Diretrizes Curriculares Nacionais para a formação inicial em nível superior (cursos de licenciatura, cursos de formação pedagógica para graduados e cursos de segunda licenciatura) e para a formação continuada. Diário Oficial da União, Brasília, 2 de julho de 2015, seção 1, p. 8.

BZUNECK, J. A. A psicologia educacional e a formação de professores: tendências contemporâneas. Psicologia Escolar e Educacional, Londrina, v. 3, n. 1, p. 41-52, 1999.

CALADO, Vânia Aparecida. A medicalização na educação e a formação inicial do pedagogo. 2019. Tese (Doutorado em Psicologia) - Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2019.

CHECCHIA, A. K. A. Contribuições da psicologia escolar para formação de professores: um estudo sobre a disciplina psicologia da educação nas licenciaturas. 2015. Tese (Doutorado em Psicologia Escolar e do Desenvolvimento Humano) - Instituto de Psicologia, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2015.

COSTA, C. dos R. Psicologia e formação do pedagogo: análise da disciplina Psicologia da Educação na UFG/RC (1988-2014). 2015. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade Federal de Goiás, Catalão, 2015.

FONTANA, R. A. C. Como nos tornamos professoras? 2. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2000.

LEONTIEV, A. N. O desenvolvimento do psiquismo. Lisboa: Livros Horizonte, 1978.

MARTINS, L. M.; ABRANTES, A.; FACCI, M. G. D. F. (org.). Periodização histórico-cultural do desenvolvimento psíquico: do nascimento à velhice. Campinas: Autores Associados, 2016.

PAINI, L. D. Psicologia educacional: a vez e a voz dos acadêmicos de pedagogia das universidades estaduais do Paraná. 2006. Tese (Doutorado em Psicologia Escolar e do Desenvolvimento Humano) - Instituto de Psicologia - Universidade de São Paulo, São Paulo, 2006.

PIAGET, Jean. Seis estudos de psicologia. 24. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1999.

PIMENTA, S. G.; LIMA, M. S. L. Estágio e docência: diferentes concepções. Revista Poíesis Pedagógica, Catalão, GO, v. 3, n. 3 e 4, p. 5-24, 2006.

PINTO, L. B. Concepções acerca dos ciclos de vida e sua importância para a formação e atuação do pedagogo. 2018. TCC (Graduação em Pedagogia) - Curso de Pedagogia, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2018.

SCHWARZ, J. C.; CAMARGO, D. de. Teoria da atividade reflexiva: contribuições teóricas e práticas derivadas da zona de desenvolvimento proximal de Vygotski. In: DIAS, M. S. de L. (org.). Introdução às leituras de Lev Vygotsky: debates e atualidades na pesquisa. Porto Alegre: Editora Fi, 2019.

VYGOTSKY, L. S. A formação social da mente. 7. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2007.

WEISZ, T. O diálogo entre o ensino e a aprendizagem. 2. ed. São Paulo: Ática, 2001. v. 1.

Downloads

Publicado

30-11-2022

Como Citar

TIBÚRCIO, N. M. da S.; RIBEIRO, C. T. O ensino de Psicologia Educacional nas licenciaturas: um estudo sobre as concepções teórico-metodológicas dos professores formadores. Quaestio - Revista de Estudos em Educação, Sorocaba, SP, v. 24, p. e022035, 2022. DOI: 10.22483/2177-5796.2022v24id4167. Disponível em: https://periodicos.uniso.br/quaestio/article/view/4167. Acesso em: 4 fev. 2023.

Edição

Seção

Artigos de Demanda