Ciência e tradição na formação de pesquisadores em Angola

discursos sobre a água

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22483/2177-5796.2022v24id4856

Palavras-chave:

educação intercultural, formação de pesquisadores, ideologia.

Resumo

Este artigo emerge de uma experiência de formação de pesquisadores no mestrado em Ciências da Educação, do Instituto Superior de Ciências da Educação, ocorrida em Angola, no município de Sumbe, província do Cuanza-Sul, na universidade Katyavala Bwila, em 2018.  Os objetivos são problematizar como pesquisadores em formação lidam com saberes científicos e tradicionais e identificar como promovem a incorporação desses saberes em propostas didáticas. A perspectiva teórico-metodológica está fundamentada na interculturalidade crítica e em estudos sobre cultura e ideologia.  A investigação é enquadrada como abordagem qualitativa de pesquisa, do tipo etnográfica escolar, e os resultados apresentados referem-se às construções por parte de um grupo de estudantes que trataram das contradições sobre o uso da água do rio Cambongo-Negunza. Como principal resultado indicamos as potencialidades da incorporação dos conhecimentos tradicionais nas propostas didáticas das Ciências Naturais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Danilo Seithi Kato, Universidade Federal do Triângulo Mineiro - UFTM

Possui graduação em Ciências Biológicas pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto, Mestrado em Ensino de Ciências e Matemática pela Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, e Doutorado no programa de Educação Escolar da Faculdade de Ciências e Letras da UNESP, na linha de pesquisa de formação de professores. Atualmente é docente na Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM) no Departamento de Educação em Ciências da Natureza, Matemática e Tecnologias (DECMT),vinculado ao Instituto de Ciências Exatas, Naturais e Educação (ICENE) no curso de Licenciatura em Educação do Campo. É credenciado, como professor permanente, junto ao Programa de Pós-Graduação em Educação da UFTM.

Adriana Santos Batista , Universidade Federal da Bahia - UFBA

Professora adjunta da Universidade Federal da Bahia; doutora em Letras: Filologia e Língua Portuguesa pela USP; mestre em Letras: Filologia e Língua Portuguesa pela USP; bacharel e licenciada em Letras com habilitações em Português e Linguística pela USP. É líder do Grupo de Estudos sobre Texto e Enunciação (GETEn) e membro do Grupo de Estudos e Pesquisa Produção Escrita e Psicanálise (Geppep).

Referências

ANDRÉ, Marli Eliza D. A. de. Etnografia da prática escolar. São Paulo: Papirus, 2005.

ANGOLA. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Relatório Avaliação do Programa de Alfabetização e Aceleração Escolar - PAAE na Província do Kwanza Sul. 2011. Disponível em: https://www.unicef.org/evaldatabase/files/Relatorio_final_da_avaliacao_do_PAAE_na_Provincia_de_Kwanza_Sul.pdf. Acesso em: 1 mar. 2020.

BHABHA, Homi. K. O local da cultura. Belo Horizonte: UFMG, 1998.

CANÁRIO, Joaquim Augusto. Captação, abastecimento, uso e gestão da água na cidade do Sumbe, Angola. 2018. Dissertação (Mestrado em Geociência) - Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra, Coimbra, 2018.

CANDAU, V. M. Multiculturalismo e educação: desafios para a prática pedagógica. In: MOREIRA, A. F. B.; CANDAU, V. M. (org.). Multiculturalismo: diferenças culturais e práticas pedagógicas. 7. ed. Petrópolis: Vozes, 2011. p. 13-37.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. 62. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2016.

HALL, Stuart. Quem precisa da identidade? In: SILVA, Tomaz Tadeu da; HALL, Stuart; WOODWARD, Kathryn (org.). Identidade e diferença: a perspectiva dos estudos culturais. Petrópolis: Vozes, [1996] 2014. p. 103-133.

INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA (INE). Inquérito de indicadores múltiplos e de saúde (IIMS) 2015 - 2016. Luanda, Angola: INE, 2017. Disponível em https://andine.ine.gov.ao/nada/index.php/catalog/9/download/124. Acesso em: 1 mar. 2020.

INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA (INE). Inquérito integrado sobre o bem-estar da população, Relatório volume III, perfil da pobreza. Luanda, Angola: INE, 2013. Disponível em: https://www.ine.gov.ao/publicacoes/detalhes/ODI3NQ%3D%3D. Acesso em: 3 mar. 2020.

INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA (INE). Resultados definitivos recenseamento geral da população e habitação - 2014. Luanda, Angola: INE, 2016. Disponível em: http://www.embajadadeangola.com/pdf/Publicacao%20Resultados%20Definitivos%20Censo%20Geral%202014_Versao%2022032016_DEFINITIVA%2018H17.pdf. Acesso em: 1 mar. 2020.

JACOBI, Pedro Roberto; GRANDISOLI, Edson. Água e sustentabilidade: desafios, perspectivas e soluções. São. Paulo: IEE-USP, Reconectta, 2017.

KATO, Danilo Seithi. Plano de curso: disciplina didática das Ciências da Natureza. Mestrado em Educação. Instituto de Superior de Ciências da Educação do Cuanza Sul da Universidade Katwavala Bwila. Sumbe: Angola, 2018.

RESTREPO, Eduardo. Etnografía: alcances, técnicas y éticas. Bogotá: Envión Editores, 2016.

SAID, Edward. Cultura e imperialismo. São Paulo: Cia das Letras, 1995.

SANTOS, Boaventura de Sousa. Por uma concepção multicultural de direitos humanos. Revista Crítica de Ciências Sociais, Coimbra, n. 48, p. 11-32, jun. 1997.

SWEET, James H. Recriar África: cultura, parentesco e religião no mundo afro-português (1441-1770). Lisboa: Edições 70, 2007.

VOLÓCHINOV, Valentin. Marxismo e filosofia da linguagem: problemas fundamentais do método sociológico na ciência da linguagem. São Paulo: Editora 34, 2017. (Círculo de Bakhtin).

WALSH, Catherine. Estudios (inter)culturales en clave decolonial. Tabula Rasa, Bogotá, Colômbia, n. 12, p. 209-277, jan./jun. 2010.

Downloads

Publicado

05-12-2022

Como Citar

KATO, D. S. .; BATISTA , A. S. . Ciência e tradição na formação de pesquisadores em Angola: discursos sobre a água. Quaestio - Revista de Estudos em Educação, Sorocaba, SP, v. 24, p. e022047, 2022. DOI: 10.22483/2177-5796.2022v24id4856. Disponível em: https://periodicos.uniso.br/quaestio/article/view/4856. Acesso em: 4 fev. 2023.

Edição

Seção

Dossiê - Educação em ciências e justiça social: interfaces com a formação docente e as práticas educativas