Juventudes universitárias populares e educação freireana:

reflexões sociológicas

Palavras-chave: Juventude popular., Ensino superior., Educação popular.

Resumo

Apresenta reflexões acerca da categoria freireana educação popular e fenômenos vinculados à juventude universitária brasileira. Nosso propósito é 1) demonstrar que os universitários brasileiros, em boa medida e cada vez mais, têm origens sociais nas camadas mais populares, 2) sugerir que para este tipo de juventude é a educação popular freireana a base conceitual mais próxima para compreender as vicissitudes deste grupo, e 3) inferir que o ensino superior não está totalmente alheio às questões da juventude universitária popular e que a educação popular vem sendo aplicada neste universo. A escolha por universitários populares decorre de um fenômeno recente no Brasil denominado “massificação do ensino superior”. A juventude, enquanto categoria carrega discursos dos mais díspares tanto que os sociólogos da juventude preferem utilizar a expressão “juventudes”. O desafio é argumentar que a categoria educação popular se subsume perfeitamente aos fenômenos da juventude universitária popular brasileira. Os dados aqui trazidos têm como fonte pesquisas do Fórum Nacional do Pró-reitores de Assuntos Estudantis. Os resultados apontam que a massificação do ensino superior no Brasil é um fenômeno em andamento, que a universidade brasileira se popularizou e que parte dela utiliza a educação popular freireana como aporte teórico e fonte de diálogo com a juventude universitária popular.

Biografia do Autor

Adalberto Carvalho Ribeiro, Universidade Federal do Amapá UNIFAP

adalb.cr@gmail.com

Maria Natália Carvalho Alves, Universidade de Lisboa - IEUL

nalves@ie.ulisboa.pt

Referências

ABRAMOVAY, Miriam; CASTRO, Mary Garcia; WAISELFISZ, Júlio Jacobo. Juventudes na escola, sentidos e buscas: por que frequentam? Brasília: Flacso-Brasil, OEI, MEC, 2015.
ALVES, Natalia. Juventudes e inserção profissional. Lisboa, Portugal: Educa, 2008.
BEISIEGEL, Celso Rui. O pensamento de Paulo Freire: suas implicações na Educação Superior - Eduardo Santos e Manuel Tavares conversam com o Professor Celso Rui Beisiegel. Revista Lusófona de Educação, Lisboa, v. 24, n. 24, p. 165-180, 2013.
BEISIEGEL, Celso Rui. Educação popular e ensino superior em Paulo Freire. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 44, 104010, p. 1-19, mar. 2018.
BRANDÃO, Carlos Rodrigues. Educação popular antes e agora. Revista do Centro de Educação e Letras da Unioeste, Cascavel, v. 15, n. 1, p. 10-24, 2013.
CAVALLI, A.; GALLAND, O. Youth in Europe. Social change in Western Europe. London: Printer. 1995.
CRUZ, M. B. et al. A condição social da juventude portuguesa. Análise Social, Lisboa, v. 20, n. 81-82, p. 285-308, 1984.
DAYRELL, Juarez. O jovem como sujeito social. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, n. 24, p. 40-52, set./dez. 2003.
DUBET, F. La galère: jeunes en survie. Paris: Fayard, 1987.
DUBET, F. Des jeunesses et des sociologies. Le cas français. Sociologie et sociétés, Paris, v. 28, n. 1, p. 23-35, 1996.
EGRIS - European Group for Integrated Social Research. Misleading trajectories: transition dilemmas of young adults in Europe. Journal of Youth Studies, Berlim, Alemanha, v. 4, n. 1, p. 101-118, 2001.
FONAPRACE. Fórum Nacional de Pró-reitores de Assuntos Estudantis, Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior Fórum Nacional de Pró-Reitores de Assuntos Comunitários e Estudantis. IV Pesquisa do Perfil Sócioeconômico e Cultural dos Estudantes de Graduação das Instituições Federais de Ensino Superior Brasileiras. Relatório. 2016.
FREIRE, Paulo; NOGUEIRA, Adriano. Teoria e prática em educação popular. 4. ed. Petrópolis: Vozes, 1993. Coleção Que Fazer.
FURLONG, A.; CARTMEL, F. Young people and social change. Individualization and risk in late modernity. Buckingham: Open University Press. 1997.
GADOTTI, Moacir. Paulo Freire e a educação popular. Proposta - Revista Trimestral de Debate da FASE, São Paulo, v. 31, n. 113, p. 21-27, jul./set. 2007. Disponível em: . Acesso em: 5 mar. 2018.
GALLAND, O. Représentations du devenir et reproduction sociale: le cas des lycéens de d’Elbeuf. Sociologie du Travail, Paris, v. 30, n. 3, p. 399-417, 1988.
GALLAND, O. Sociologie de la jeunesse. L’entrée dans la vie. Paris: Armand Colin. 1991.
JONES, G. Leaving home. Buckingham: Open University Press, 1995.
LAGRÉE, J. C. Youth and post-modernity. In: LAGRÉE, J. C. (Ed.). Rolling youth, rocking society. Paris: Unesco, 2002. p. 15-43
KRUGER, H. La prolongation de la durée de la heunesse : un phénomène diffèrencié selon les sexes. In: MAUGER, G.; BENDIT, R.; WOLFFERSDORFF, C. (Ed.). Jeunesses et sociétés. Perspectives de la recherche en France et en Allemagne. Paris: Armand Colin, 1994. p. 78-94.
MAUGER, G. Les jeunes en France. État des recherches. Paris: La Documentation Française, 1994.
NUNES, A. S. Sociologia e ideologia do desenvolvimento. Lisboa: Moraes Editores, 1968.
PAIS, J. M. Culturas juvenis. Lisboa: Imprensa Nacional, 1993.
PONTUAL, Pedro de Carvalho. Contribuições de Paulo Freire e da educação popular à construção do sistema educacional brasileiro. Revista e-curriculum, São Paulo, v. 7, n. 3, edição especial de aniversário de Paulo Freire, dez. 2011. Disponível em: < http://revistas.pucsp.br/index.php/curriculum>. Acesso em: 10 mar. 2018.
ROBERTS, K. Youth and employment in modern Britain. London: Oxford University Press, 1995.
ROBERTS, K. Individualization and risk in Eastern and Western Europe. In: HELVE, H.; BYNNER, J. (Ed.). Youth and life management. Research Perspectives. Helsinki: Helsinki University Press, 1996. p. 226-240.
ROMAO, José Eustáquio. Paulo Freire e a Universidade. Revista Lusófona de Educação, Lisboa, n. 24, p. 89-105, 2013.
SOUZA, Candida de; PAIVA, Ilana Lemos de. Faces da juventude brasileira: entre o ideal e o real. Estudos de Psicologia, Natal, RN, v. 3, n. 17, p. 353-360, set./dez. 2012. Disponível em: . Acesso em: 29 mar. 2018
SPOSITO, Marília P.; TARÁBOLA, Felipe de S. Entre luzes e sombras: o passado imediato e o futuro possível da pesquisa em juventude no Brasil. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v. 22, n. 71, p. 1-25, 2017.
VALLÉS, M. Jóvenes españoles, jóvenes europeos a las puertas del siglo XXI. In: CACHÓN, L. (Ed.). Juventudes, mercados de trabajo y políticas de empleo. Valencia: Editorial 7 i Mig, 1999. p. 119-131.
WALLACE, C.; KOVATCHEVA, S. Youth in society. The construction and deconstruction of youth in East and West Europe. London: Macmillan Press. 1998.
Publicado
2018-08-09
Como Citar
RIBEIRO, A.; ALVES, M. Juventudes universitárias populares e educação freireana:. Quaestio - Revista de Estudos em Educação, v. 20, n. 2, p. 305-325, 9 ago. 2018.
Seção
Dossiê - Exercícios de trans-ver Paulo Freire