Funções e formas de ingresso dos/as gestores/as escolares nas redes estaduais paulista e paranaense

Autores

  • Nathália Delgado Bueno da Silva UNESP/ Marília
  • Graziela Zambão Abdian UNESP/Marília

DOI:

https://doi.org/10.22483/2177-5796.2017v19n2p397-415

Resumo

O artigo analisa as relações entre as formas de ingresso e as funções delineadas para os/as gestores/as escolares nas redes estaduais paulista e paranaense, relacionando os dois temas com as questões nacionais e estaduais, históricas e teóricas. Metodologicamente, procedemos à sistematização e análise documental dos dois estados e analisamos entrevistas semiestruturadas com quatro gestores/as de cada um dos estados. Nacionalmente, há multiplicidade de formas de ingresso nas redes estaduais do país, com predomínio das formas mistas e, especificamente nas redes analisadas, há relações intrínsecas entre a função/atuação do/a gestor/a e sua forma de ingresso nas escolas, assim como apontado na teoria em administração/gestão escolar. Os/as gestores/as eleitos no Paraná possuem maior possibilidade de vivenciarem sua função de acordo com as expectativas da comunidade do que os gestores/as concursados de São Paulo, que possuem especificações governamentais que limitam sua função a determinadas atividades de cunho tecnoburocrático.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Nathália Delgado Bueno da Silva, UNESP/ Marília

Mestre em Educação (UNESP/Marília). Especialista em Docência na Educação superior (UEL). Pedagoga (UNIFIL)

Graziela Zambão Abdian, UNESP/Marília

Professora Assistente doutora do departamento de Administração e Supervisão Escolar e do Programa de Pós Graduação em Educação da UNESP/ Marília. Pós Doutora em Educação pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos.

Publicado

04-09-2017

Como Citar

DELGADO BUENO DA SILVA, N.; ZAMBÃO ABDIAN, G. Funções e formas de ingresso dos/as gestores/as escolares nas redes estaduais paulista e paranaense. Quaestio - Revista de Estudos em Educação, Sorocaba, SP, v. 19, n. 2, 2017. DOI: 10.22483/2177-5796.2017v19n2p397-415. Disponível em: https://periodicos.uniso.br/quaestio/article/view/2782. Acesso em: 28 jan. 2023.

Edição

Seção

Artigos