Currículo-docência-menor e pesquisas com os cotidianos escolares:

sobre possibilidades de escapes frente aos mecanismos de controle do Estado

Autores

  • Carlos Eduardo Ferraço Universidade Federal do Espírito Santo

DOI:

https://doi.org/10.22483/2177-5796.2017v19n3p529-546

Resumo

Trata-se de artigo que tem como objetivo problematizar os currículos-docências-menores tecidos em redes nas escolas, como possibilidades de resistência e de escape aos mecanismos de controle do Estado, como a proposta de constituição de uma Base Nacional Comum Curricular para as escolas brasileiras. Apostando na potência das pesquisas “com” os cotidianos e buscando nos situar em meio aos fenômenos fronteiriços, interessa-nos evidenciar, com as teorias-práticas-imagens-narrativas produzidas pelos praticantes das escolas, pistas que ajudem a reforçar e dar visibilidade à dimensão teórico-político-ético-epistemológica dos cotidianos escolares. Sem desconsiderar a importância das análises realizadas no âmbito do texto governamental, defendemos a importância de, com nossas investigações, ampliar a criação de movimentos curriculares em meio às multiplicidades e aos processos de diferenciação vividos no dia a dia das escolas, por entender que também são nesses fenômenos fronteiriços que as vidas se inventam.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2017-11-14

Como Citar

FERRAÇO, C. E. Currículo-docência-menor e pesquisas com os cotidianos escolares:: sobre possibilidades de escapes frente aos mecanismos de controle do Estado. Quaestio - Revista de Estudos em Educação, Sorocaba, SP, v. 19, n. 3, 2017. DOI: 10.22483/2177-5796.2017v19n3p529-546. Disponível em: https://periodicos.uniso.br/quaestio/article/view/3152. Acesso em: 29 nov. 2022.

Edição

Seção

Dossiê - Inquietudes e fronteiras cotidianas em educação