Onde estava a chave? Relatos tardios (e quase perdidos) de conversas cotidianas em uma escola na floresta

Autores

  • Rodrigo Barchi Universidade de Sorocaba

DOI:

https://doi.org/10.22483/2177-5796.2017v19n3p631-650

Resumo

A Escola Bosque do Amapá, Módulo Regional do Bailique, foi inaugurada em 1998, com a intenção de promover um ensino que buscasse na floresta e nos saberes da população local, os conhecimentos que construíssem o currículo e as práticas pedagógicas da escola, de forma a fortalecer a autonomia da comunidade e desenvolver economicamente a região sem a necessidade de estabelecer uma relação predatória com o meio ambiente. Durante minha estadia na Escola Bosque no ano de 2001, estabeleci uma série de conversas cotidianas com seus professores e professoras, especialmente aqueles(as) que não eram originários do Bailique, e esse texto constrói uma série de narrativas ficcionais, mas baseadas em situações reais, a partir dessas conversas e relatos, dando destaque às suas impressões, esperanças, desilusões, saudades, alegrias, tristezas e posicionamentos políticos, sociais e culturais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2017-11-16

Como Citar

BARCHI, R. Onde estava a chave? Relatos tardios (e quase perdidos) de conversas cotidianas em uma escola na floresta. Quaestio - Revista de Estudos em Educação, Sorocaba, SP, v. 19, n. 3, 2017. DOI: 10.22483/2177-5796.2017v19n3p631-650. Disponível em: https://periodicos.uniso.br/quaestio/article/view/3158. Acesso em: 26 nov. 2022.

Edição

Seção

Dossiê - Inquietudes e fronteiras cotidianas em educação